5 porquês da comunicação interna ser fundamental no pós-crise

14/05/2020
Momento evidencia a importância da qualidade do fluxo de informação e relacionamento com colaboradores no momento da retomada econômica

Compartilhe este artigo:

O mundo globalizado sempre mudou de forma dinâmica, mas os acontecimentos recentes fizeram com que muitas tendências fossem antecipadas. Pelo bem ou pelo mal, são situações que serão incorporadas ao cotidiano das empresas, em um contexto em que o home office não é uma opção e, sim, uma necessidade para a maior parte. Portanto, é natural que a comunicação interna ganhe ainda mais protagonismo durante e após a crise que vivemos.

“Alguns paradigmas estão sendo quebrados de forma extremamente rápida nas empresas. Quem resistia a investir na eficiência e em uma nova visão sobre a comunicação interna está passando por maiores dificuldades e sofrendo maiores impactos nos negócios”, afirma Felipe Hotz, CEO da Comunica.In, startup idealizadora de uma plataforma para melhorar a forma com a qual empresas se comunicam com seus colaboradores.

A marca, que atende players como Volvo, Electrolux e Tok&Stok, elencou os porquês da comunicação interna ser vital nesse processo de retomada. Veja abaixo:

1. É uma tendência iminente e vital para o negócio

Cada vez mais, há um consenso que investir em comunicar não é custo: é uma necessidade evidente. Ter uma estrutura assertiva em transmitir as informações vitais da sua empresa se faz quase que algo obrigatório para as marcas que pensam adiante e valorizam motivação dos colaboradores, pertencimento e cultura de uma empresa em médio e longo prazo.

2. o cenário de trabalho remoto evidencia oportunidades de melhoria que já existiam

À distância, as chances de melhorar o fluxo de comunicação ficam mais evidentes. Algumas situações podem ser otimizadas com o bom gerenciamento da comunicação interna, que no trabalho remoto se torna uma questão chave para o negócio. De forma geral, trabalhar à distância é uma realidade há alguns anos em muitas empresas. Logo, uma boa execução disso exige uma boa dinâmica de relacionamento e transparência que respeite a cultura da empresa, assim como o colaborador que atua em home office. Hoje, ferramentas de chat agilizam esses processos, assim como as reuniões por vídeo chamada, já parte do cotidiano de muita gente.

3. mensuração e avaliação da comunicação aumentam sua eficácia

Quando falamos de modernidade, trata-se de uma estratégia por trás desse trabalho; comunicar envolve, também, mensurar e avaliar a qualidade daquilo que foi transmitido. Em empresas que prezam pelos seus valores, entender a forma que as informações são avaliadas é ouro. Logo, saber o alcance de comunicados, a forma que aquilo foi assimilado e, principalmente, o valor que aquilo teve na rotina da empresa é algo fundamental para negócios que busquem aperfeiçoar seu cotidiano de informações.

4. os colaboradores estão cobrando posicionamentos e querem se manter informados.

Como mencionado acima, o trabalho remoto nos distancia do convívio e deixa claro como podemos melhorar nossos relacionamentos na empresa. Essas oportunidades de melhoria ficam nítidas a partir do aumento das dúvidas dos funcionários sobre o rumo da empresa ou, até mesmo, em insegurança no próprio desempenho. O gestor mais atento perceberá, rapidamente, que o fluxo de comunicação interna é um dos alicerces para auxiliar nessas questões.

5. apoiar e orientar os colaboradores ajuda no relacionamento

O relacionamento entre empresa e colaborador, no fim das contas, é o que move um negócio. Um trabalho em que não existe motivação ou objetivos a serem alcançados se torna algo abstrato no dia a dia do funcionário, ou no melhor dos casos acaba por torná-lo um ofício em que não há degraus a subir.

Aplicar uma cultura de valores e ética faz parte disso, e a única forma de implementá-la com sucesso é por meio de proximidade e transparência. Nesse contexto, a união e o alinhamento com essas propostas de trabalho serão vitais para a retomada pós-crise.

Compartilhe: