Prefeito convoca reunião extraordinária na Amfri para discutir o Hospital Ruth Cardoso

22/06/2019

Compartilhe este artigo:

A lotação dos últimos meses no Hospital Ruth Cardoso motivou reunião extraordinária, na sede da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI), na manhã desta terça-feira (18), quando o presidente da Associação e prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, expôs os resultados de uma auditoria que apontou os gargalos do serviço e colocou na mesa a situação de calamidade em que o hospital se encontra devido à superlotação ocasionada por pacientes de toda região.

O encontro reuniu os prefeitos dos onze municípios e secretários de saúde da região. Na apresentação, constou uma série histórica do quantitativo de atendimentos durante os últimos sete anos, os recursos por procedimentos, e as necessidades imediatas do hospital. As explanações motivaram a iniciativa de formar um consórcio que viabilize que os municípios possam repassar, futuramente, recursos ao hospital. Ficou determinado também o agendamento urgente de uma nova reunião no governo do Estado, com o governador Carlos Moisés, para que o Estado tome uma providência imediata. Há cerca de 15 dias, o secretário de Saúde do Estado, Helton de Souza Zeferino, recebeu uma equipe de Balneário Camboriú que oficiou o órgão sobre a situação do Hospital, pedindo soluções urgentes e aporte financeiro.

“Não há mais como continuar com essa situação. Temos compromisso com a vida e com a qualidade do atendimento. É preciso que o Estado compartilhe as responsabilidades financeiras do Ruth”, destacou Fabrício Oliveira. Setenta e cinco por cento de toda a despesa do Ruth Cardoso é custeada pelo município de Balneário Camboriú. No entanto, o hospital atende pacientes de toda região. Dos partos realizados no hospital, por exemplo, 37% apenas são de gestantes de Balneário Camboriú e apesar de haver repasse do Governo Federal, pela Rede Cegonha, não cobre as despesas geradas pelos outros municípios, explicou o prefeito.

Os associados endossaram a possibilidade da criação do consórcio e decidiram unir forças para buscar solução do problema junto ao Estado. Ainda na tarde desta terça-feira, a secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Andressa Hadad, enviou notificação extrajudicial a Gerência da 17a. Regional de Saúde pedindo medidas imediatas para o atendimento dos pacientes que chegam em ambulâncias do Samu e ambulâncias brancas.

“O atendimento da urgência e emergência está acima da capacidade física do hospital e do número de leitos. O Estado precisa contrarreferenciar esse paciente para outros hospitais. Desde o final de semana passado estamos com a urgência e emergência fechada porque esgotamos a capacidade física de atendimento”, explicou Fabrício Oliveira.

Compartilhe: