SINDUSCON Joinville cria Comitê Técnico para fomentar a inovação no setor

01/09/2020
Uso de novas tecnologias, automação nos apartamentos, biometria, serviços compartilhados, bikes elétricas, foco na sustentabilidade e mais comodidade e conforto para os moradores estão entre as apostas das empresas na região

Compartilhe este artigo:

O futuro chegou. Ainda que as casas flutuantes e os carros voadores do desenho animado “Os Jetsons” – série criada pelos estúdios Hanna-Barbera no início dos anos 1960 e relançada na década de 1980 – não tenham se tornado uma realidade, a tecnologia avança a passos largos e a construção civil acompanha as tendências.

Para discutir o que há de novo no setor e trocar experiências entre os associados, o SINDUSCON Joinville criou recentemente um Comitê Técnico de Inovação. O diretor de Economia e Estatística do sindicato e membro do comitê, Luciano Watzko, diz que o tempo entre o surgimento de uma inovação e a consolidação da novidade como algo seguro para aplicação nas construções reduziu muito.

“A velocidade proporcionada pela internet, pela globalização, pelas mídias sociais e pelas startups nos permite testar as inovações rapidamente e implementá-las de forma eficaz e econômica”, avalia.

Controle de acesso por biometria, portões eletrônicos com reconhecimento de veículos, fechaduras eletrônicas, automação de iluminação, persianas, climatização e som, além de sistema de energia com placas fotovoltaicas são tecnologias que já existiam, mas continuam evoluindo e se tornando cada vez mais acessíveis, diz Watzko.

A boa notícia, continua o diretor da LHW Engenharia, é que muitas edificações em Joinville e na região já contam com esses recursos. “A onda do compartilhamento dos ambientes, a nova forma de viver e de se relacionar, os novos hábitos, tudo isso nos faz mudar constantemente a maneira de projetar novos apartamentos”, explica.

Além da tecnologia e automatização, as áreas comuns dos edifícios também têm recebido destaque.

Itens como coworking, lavanderia compartilhada, academias bem equipadas, pet place, bike community com bicicletas e patinetes elétricos, vagas para carros elétricos e, em alguns casos, carros para uso compartilhado já são itens de série em muitos novos projetos e devem fazer parte das obras que serão entregues nos próximos anos.

Várias dessas novidades, comenta o diretor do SINDUSCON Joinville, vêm ao encontro da otimização de recursos e de obras com processos de produção cada vez mais sustentáveis. A constante busca por energia limpa e barata e a diminuição no consumo de recursos naturais como a água, assim como o equilíbrio na manutenção e nos custos gerais das edificações, depois de prontas, são outros pontos considerados. “Tudo para que os condomínios sejam cada vez mais econômicos e inteligentes”, afirma.

Sustentabilidade e serviços

Na lista das 50 empresas mais inovadoras do Sul do país e única catarinense na categoria Construção e Imobiliário, segundo o ranking Campeãs de Inovação, a Rôgga aprimora constantemente seus processos.

Diretor de Relações Institucionais do SINDUSCON Joinville, o empresário Vilson Buss diz que a construtora busca novas soluções para um futuro mais sustentável na indústria da construção civil.

Atualmente, os empreendimentos da marca contam com soluções de sustentabilidade que agregam qualidade, eficiência ambiental e competitividade.

Para isso, a Rôgga desenvolveu em 2015 o sistema RES – Rôgga Edifícios Sustentáveis. “A solução reduz, por exemplo, em até 80% os resíduos gerados na fase de execução das obras, incrementando a produtividade e garantindo o controle de qualidade no processo fabril, entre outras vantagens, sem falar nas inovações que oferecemos aos moradores”, explica.

Outra tendência de mercado, continua Luciano Watzko, da LHW, é a implantação de alamedas de serviço ou minimercados nos condomínios, que são planejados de acordo com o porte da edificação. “Os serviços podem ser utilizados pelos moradores através de um cadastro prévio no aplicativo da empresa por sistema self-service, por exemplo.”

Vilson Buss concorda que comodidade e conforto sejam itens essenciais nos empreendimentos inovadores e, por isso, a Rôgga já projeta alamedas de lojas em alguns de seus condomínios. “Além de fomentar o comércio na região, gerando emprego e renda, esse modelo de negócio se torna uma conveniência para os moradores”, diz.

Smart buildings

Os smart buildings – ou edifícios inteligentes – são outro caminho sem volta e uma das apostas da LHW. As edificações nesse sistema contam com tecnologia embarcada, itens “de série” e infraestrutura pronta para receber inovações que ainda nem surgiram. “Os projetos hoje devem ser planejados de forma que possam ser adaptados, ‘atualizados para nova versão’ com o passar dos anos”, explica Luciano Watzko.

Para o diretor do SINDUSCON Joinville, assim como a Inteligência Artificial se mostra em pleno desenvolvimento, muito em breve as edificações estarão tão automatizadas que o morador chegará em seu prédio e não precisará usar chaves ou apertar botões para entrar.

O reconhecimento, aposta o empresário, será instantâneo e, à medida que o proprietário se aproximar de casa, o portão e as portas se abrirão e, depois de usar a biometria para entrar no apartamento, tudo estará ligado ou climatizado de acordo com a preferência e os hábitos do morador.

“O elevador inteligente com chamada por aplicativo integrado ao sistema de armazenamento de energia das frenagens já está nos projetos atuais e será futuramente interligado a todo o restante desta tecnologia que estamos falando.

Tudo será conectado e, ainda que os carros não estejam voando, nossos apartamentos e edificações já estão, com certeza, bem mais modernos”, garante o representante do Comitê Técnico de Inovação do SINDUSCON Joinville.

Fonte: Graziela Lindner
Foto: Divulgação

Compartilhe: