Credifoz tem aumento de 41% nas sobras que somaram R$ 7,9 milhões em 2018

30/04/2019
Resultados foram apresentados para os cooperados na Assembleia Geral que aprovaram por unanimidade a distribuição das sobras e os planos de expansão da cooperativa para 2019

Compartilhe este artigo:

A Credifoz Cooperativa de Crédito fechou o ano de 2018 com R$ 7,9 milhões em sobras (lucro) representando crescimento de 41% em relação a 2017. Deste valor, a cooperativa irá distribuir R$ 2,9 milhões - R$ 1 mi reforçará a Reserva Adicional e R$ 1,9 mi será distribuído no capital dos cooperados. A proposta foi aprovada na Assembleia Geral Ordinária (AGO) realizada na noite de quinta-feira (25), em Itajaí, onde mais de 500 pessoas estiveram presentes. No evento, os cooperados tiveram acesso aos principais números da cooperativa que mostrou crescimento nos seus ativos de 35% em 2018 somando mais de R$ 208 milhões.

“Em uma cooperativa de crédito, o lucro não vai para os acionistas, nós dividimos entre os cooperados que são os donos do negócio. Além das sobras, temos que comemorar o resultado econômico social que permitiu que os cooperados economizassem muito dinheiro com tarifas e juros mais baratos além de maior rentabilidade nos investimentos”, explicou o diretor Executivo da Credifoz, Silvano Lazarini Júnior.

Tarifas e juros mais baratos geraram

economia de R$ 36 milhões para cooperados

Segundo o diretor, a diferença da taxa de juros praticada pelos bancos tradicionais e a Credifoz para o cheque especial chegou a quase 220% em 2018. No rotativo do cartão, por exemplo, enquanto a média da taxa aplicada pelos bancos é de 300%, na Credifoz ela cai para 112,9%. Em valores concretos, essa diferença nos juros ocasionou uma economia de R$ 30 milhões para os cooperados. No caso das tarifas, que também são mais baratas que nas instituições tradicionais, a economia foi de R$ 6 milhões. Além disso, a Credifoz remunerou melhor os investidores que ganharam no total R$ 643 mil a mais em comparação se tivessem aplicado o dinheiro nos bancos.

"Quando um cooperado economiza esse valor em juros, tarifas mais baratas, quando o dinheiro dele rende mais, esses valores ficam no bolso dele e voltam para desenvolver a economia local em vez de ir para o bolso de somente alguns acionistas ", disse. No total, o resultado econômico e social de 2018 foi de R$ 41,084 milhões, média de R$ 1.187,00 para cada cooperado.

Aumento do número de cooperados e expansão para duas novas cidades

Durante a Assembleia Geral, os cooperados também aprovaram os planos de expansão da Credifoz que ainda em 2019 deve inaugurar postos de atendimento nas cidades de Tijucas e Itapema, além de mudar de endereço em Balneário Camboriú para ampliar a capacidade de atendimento do PA. Com o aumento no número de postos de atendimento, a meta é fechar 2019 com 29% mais cooperados atingindo 50 mil pessoas até 2020. “Este será um ano de muitos investimentos para ampliarmos nossa área de atuação, modernizarmos nossos postos e produtos e consolidamos nossa atuação no litoral de Santa Catarina”.

>> RESUMO DOS DADOS APRESENTADOS <<

Resultados 2018

Crescimento de 41% nas sobras anuais (R$ 7,9 milhões)

Sobras a distribuir R$ 2,9 milhões (R$ 1 milhão para a Reserva Adicional da Cooperativa e outros R$ 1,9 milhão a serem distribuídos no capital dos cooperados)

::Resultado Econômico Social 2018

Economia em juros - mais de R$ 30 milhões

Economia em tarifas - quase R$ 6 milhões

Ganho com rentabilidade das aplicações - R$ 643 mil

Resultado para o cooperado (juros ao capital + sobras) - R$ 5,5 milhões

Total - R$ 41,084 milhões, média de R$ 1.187,00 por cooperado

::Metas para 2019

Crescimento de 29% no número de cooperados

Crescimento de 28% em ativos totais

Crescimento de 9% nas sobras

Crescimento de 46% na participação social

Expansão para mais duas cidades: Itapema e Tijucas

Ampliação em Balneário Camboriú

::Diferença nas médias das taxas de juros, tarifas e rendimento em aplicações

Cheque Especial - enquanto a média praticada nos bancos tradicionais é de 311%, na Credifoz a taxa de juros é de 91,8%, uma diferença de quase 220%

Crédito Pessoal - nos bancos, a média cobrada é de 39,35%, na Credifoz a média é de 30,15%, uma diferença de mais de 9%

Rotativo do Cartão - a média da taxa de juros aplicada pelos bancos é de 300% enquanto na Credifoz essa taxa cai para 112,9%, uma diferença de 187%

**Essa diferença nas taxas de juros ocasionou uma economia para os cooperados de mais de R$ 30 milhões

Rendimento Aplicações - a média paga pelos bancos é de 5,25%, menor que a remuneração média aplicada pela Credifoz para os investidores que é de 5,98% o que representa um ganho de R$ 643 mil a mais para os cooperados que aplicaram seu dinheiro na Credifoz

Economia em tarifas - da mesma maneira, as tarifas aplicadas pela Credifoz são mais atrativas que as dos bancos tradicionais, gerando uma economia de quase R$ 6 milhões para os cooperados

Compartilhe: