Medicamentos fitoterápicos são disponibilizados na rede pública de Itajai

20/05/2020

Compartilhe este artigo:

Itajaí incluiu neste mês a fitoterapia no rol de práticas integrativas e complementares em saúde. Inicialmente, os usuários terão acesso a dois medicamentos fitoterápicos na rede pública: cápsulas com extrato de Espinheira Santa (Maytenus ilicifolia) e comprimidos revestidos com extrato de Garra do Diabo (Harpagophytum procumbens). A ação faz parte do projeto Farmácia Viva, desenvolvido pela Secretaria de Saúde em parceria com a Univali e apoio financeiro do Ministério da Saúde.

A fitoterapia utiliza plantas medicinais em diferentes preparações e formas farmacêuticas para tratar diversos problemas de saúde. A forma mais tradicional é o chá, preparado com a planta seca ou planta fresca. Mas também há produtos elaborados a partir da colheita e transformados em cápsulas, comprimidos, xaropes, entre outros. São composições naturais com diversos benefícios e menos danosos à saúde.

No município, os profissionais de saúde têm à disposição duas novas opções terapêuticas para indicar aos pacientes, após avaliação de suas necessidades de saúde. Os fitoterápicos oferecidos inicialmente são produzidos pela indústria e cumprem todos os critérios de segurança e eficácia exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A indicação dos medicamentos é feita pelo médico responsável com fornecimento de receita.

Os medicamentos estão disponíveis nas unidades básicas do município e na Farmácia Municipal.

Benefícios

A Espinheira Santa tem indicação comprovada para proteção da mucosa gástrica, auxiliando no tratamento de gastrites, por exemplo. Já a Garra do Diabo é recomendada para o alívio de dores articulares moderadas e lombalgia aguda, pois apresenta ação anti-inflamatória. Os dois medicamentos fazem parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME) e estão incluídos na Relação Municipal de Medicamentos de Itajaí (REMUME).

“Os fitoterápicos têm uma participação importante no mercado de medicamentos, porque eles refletem também nossa cultura, nossa tradição e história. Além disso, são medicamentos de baixo custo e que parte da população está habituada, pois aprendeu a usá-los com seus avós e pais. É importante que possamos ampliar o acesso a fitoterápicos no SUS”, comenta a gerente de Assistência Farmacêutica de Itajaí, Simone do Nascimento Gonçalves.

O próximo do projeto Farmácia Viva é implantar mais dois fitoterápicos na rede pública do município: o guaco, indicado para tratamento de gripes, tosse, rouquidão, infecção na garganta, bronquite, alergias e infecções na pele, por exemplo; e a tintura de capim limão, que possui ação calmante e analgésica, podendo ser indicada para alívio de cólicas menstruais e intestinais, entre outros casos.

Compartilhe: