Dr. Anderson Zeschau alerta para o Março Roxo

04/03/2021
O médico neurologista Anderson Zeschau traz informações sobre o movimento mundial Março Roxo, que busca conscientizar sobre a epilepsia

Compartilhe este artigo:

O médico neurologista Anderson Zeschau, de Rio do Sul, alerta para o movimento março roxo, que destaca a importância da conscientização sobre a epilepsia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 50 milhões de pessoas no mundo convivam hoje com a doença. Na América Latina estima-se que este número chegue a oito milhões de pessoas. Aproximadamente 50% dos casos têm causa desconhecida e, apesar de 70% dos casos serem facilmente controlados, ainda existe preconceito e falta de informação sobre o assunto.

A epilepsia é uma doença neurológica que se origina no cérebro, produzindo descargas elétricas anormais que ocorrem de maneira excessiva e causam crises epilépticas ou convulsões. Com tratamento adequado, a maioria dos pacientes tem evolução favorável, com controle das crises e melhora da qualidade de vida.

Através da Frente Parlamentar Interestadual em Defesa dos Direitos das com Pessoas com Epilepsia (FPIDP), serão realizadas, ao longo deste mês, ações de conscientização, como a recomendação da iluminação com a cor roxa dos prédios públicos. Balões roxos serão lançados no dia 26, em alusão ao Purple Day (Dia Mundial de Conscientização da Epilepsia). Por fim, a segunda edição do Fórum Nacional de Combate ao Preconceito contra as Pessoas com Epilepsia será realizado no dia 25, às 19 horas, com transmissão pelos canais oficiais da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE).

Anderson Zeschau possui formação em Medicina pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), especialização multiprofissional na Atenção Básica/Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), residência médica em Neurologia pela Congregação Divina Providência/Hospital Santa Isabel. Concluiu residência em Neurofisiologia Clínica na Universidade Federal Fluminense/Hospital Universitário Antônio Pedro. Mais informações pelo e-mail neurologist[email protected].

Compartilhe: