Camboriú segue com a Campanha de Vacinação contra H1N1

30/04/2021

Compartilhe este artigo:

A Secretaria de Saúde de Camboriú, por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica, informa que o município segue com a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (H1N1). De acordo com o coordenador da Vigilância Epidemiológica, enfermeiro, Thiago Regiel Vilcinskas, a campanha é direcionada para crianças com idade de 6 meses até 5 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas. Já os trabalhadores da saúde aguardam no cronograma para que seja iniciada a aplicação das doses assim que chegar ao município. Essa etapa vai até o dia 10 de maio.

“Queremos atingir o maior número de pessoas possíveis, dentro do público alvo, que fazem parte desta primeira fase, por isso, pedimos à comunidade que fique atenta e procure a sala de vacinação da unidade de saúde mais próxima de sua residência”, comenta o coordenador.
Fique atento:
Para receber a dose da vacina é necessário levar a carteira de vacinação e documento com foto. As pessoas que apresentarem sintomas (febre, dor no corpo e falta de ar) não podem ser vacinadas. Caso tenham testado positivo para Covid-19, é necessário aguardar 30 dias sem apresentar sintomas para que a imunização seja aplicada. A pessoa que foi imunizada contra a Covid-19 precisa aguardar pelo menos 14 dias após as duas doses da vacina para ser vacinada contra a Influenza.

Próximas etapas:

11/05 a 08/06 – Idosos com 60 anos e mais, professores.

09/06 a 09/07 – Pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, formas armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade, adolescentes e jovens com medidas socioeducativas.

Sobre a vacina
A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Ela protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS, (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Neste ano, apenas a cepa da influenza A (H1N1) não foi alterada: A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09; A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016 (H3N2); e B/Phuket/3073/2013.

Prevenção
A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). Medidas simples podem evitar a doença, como: utilizar a máscara; manter distanciamento social; lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Compartilhe: