São José reforça importância dos grupos de estudo da Educação Infantil

13/07/2021
A organização desse evento é de competência da direção dos CEIs e acontece no contraturno do atendimento às crianças para os profissionais

Compartilhe este artigo:

Nos Centros de Educação Infantil (CEIs) de São José, os Grupos de Estudos são uma prática integrante da hora atividade coletiva. A organização desse evento é de competência da direção dos CEIs e acontece no contraturno do atendimento às crianças para os profissionais de 40 horas semanais e no turno do atendimento às crianças para quem trabalha 30 horas semanais. Além disso, são realizadas mensalmente formações continuadas e reuniões pedagógicas.

Essas formações são parte importante para a Educação Infantil e a sua função social, que tem sido cada vez mais tema discutido dentro de todos os meios educacionais, sendo a primeira etapa da educação básica e que tem um papel fundamental no desenvolvimento das pessoas. Os Centros de Educação Infantil estão, progressivamente, se tornando ambientes valorizados e procurados, para que as crianças possam realizar seu desenvolvimento motor, emocional, cognitivo e social. Partindo dessa compreensão, sabe-se que essa base precisa ser sólida, com foco na formação da equipe de profissionais que atuam na área.

O CEI Professora Regina Terezinha de Oliveira Bastos é exemplo de como está sendo realizado esse processo. Com 38 profissionais, o grupo de estudos está dividido em dois no período manhã e dois no período vespertino, coordenados pelas professoras, Renata Schlickmann e Adriana Roldão de Freitas Raimundo. Os encontros acontecem uma vez por semana, onde são desenvolvidos estudos específicos, voltados para as necessidades dos educadores e, da mesma forma, o conteúdo de documentos, que contempla as ações pedagógicas.

Para a professora Renata, essa troca de conhecimento semanal fortalece a interação do corpo docente, sendo um momento muito enriquecedor. “São vários os assuntos estudados. Buscamos ler textos e assistir a Lives relacionadas ao dia a dia da instituição, com temas que irão agregar conhecimento ao nosso planejamento e registros. Priorizamos a pesquisa sobre a educação e nesse momento sobre a pandemia, para entender o que os especialistas têm para nos orientar e contribuir com o retorno às atividades presenciais”, assinalou.

A diretora Alcina da Silva e Souza pontua que um dos temas surgiu da necessidade de conhecer a cultura das crianças venezuelanas e haitianas. “É um universo que precisa ser respeitado. As professoras estão realizando um projeto com abordagem dos costumes dessas crianças, que juntamente com seus pais, nos contam sobre suas histórias, músicas, culinária, linguagem, entre outras características. A ideia é que todo o CEI seja contemplado. Outro ponto de interesse é o nosso PPP – Projeto Político Pedagógico. Estamos aprimorando e buscando subsídios com outros municípios, para desenvolvermos nossos afazeres nesse período pandêmico, de acordo com a nossa realidade”, esclareceu Alcina.

Já no CEI Erica Schimidt de Souza (Cristo Rei), a professora Gláucia Santos Rosa Bourdot aponta que os encontros são momentos que fazem refletir sobre a prática diária. “A nossa formação acontece de acordo com os interesses e as necessidades do grupo, em um movimento de diálogo e crescimento para a evolução do nosso trabalho com as crianças. Se tornou indispensável para a qualidade que queremos na educação de São José, com outros olhares que se congregam nessa interação”.

A diretora do CEI Patrícia Cabral conta que a cada mês é escolhido um tópico para abordar no grupo de estudos, que tem acontecido, muitas vezes com especialistas de outras instituições, ou com profissionais da própria rede, que trazem um embasamento essencial para agregar conhecimento. “É por meio de outros olhares, que as realidades são observadas, tornando possível outras percepções para que as mudanças necessárias aconteçam”.

Para a coordenadora da Educação Infantil, Márcia Figueredo Rizzaro, o objetivo é aperfeiçoar o conhecimento dos profissionais da Rede Municipal de Ensino. “Os grupos de estudos e de pesquisas surgem como fonte de novos saberes, que favorecem o diálogo e a aprendizagem pelo debate. É necessário refletir sobre o que desejamos dos nossos educadores. Que eles sejam capacitados a fazer o seu trabalho, em ação coletiva, para que a teoria e a prática de fato se efetivem nos desafiando a pensar a realidade, para que possamos transformá-la para melhor”.

Compartilhe: