Hospital Dona Helena estrutura Unidade Dengue

Hospital Dona Helena estrutura Unidade Dengue

Facebook
Twitter
LinkedIn
Hospital Dona Helena estrutura Unidade Dengue

Para responder ao agravamento da dengue em Santa Catarina, já considerada epidemia em vários municípios, o Hospital Dona Helena, de Joinville, disponibiliza 22 leitos que agora integram a Unidade Dengue.

Ao mesmo tempo, reforça o time de plantonistas, revisa protocolos internos com base em orientações do Ministério da Saúde e amplia a área física para medicação de pacientes.

A médica Luana Ferrabone, coordenadora da Emergência, sublinha que os protocolos de coleta foram revisados para garantir que todos os exames sejam coletados e obtenham resultado o mais rápido possível.

“Como nos anos anteriores, estamos mantendo um atendimento diferenciado, primando pela segurança”, reitera. Passando a epidemia, a estrutura montada servirá às outras áreas de atendimento.

O Dona Helena se antecipa às necessidades nas situações em que há maior procura por atendimento médico, como ocorre agora com a dengue.

“Estamos preparados para enfrentar o problema”, garante o diretor geral José Tadeu Chechi.

A avaliação do quadro é feita periodicamente pelo comitê de crise do hospital.

Tadeu Chechi destaca a importância da acreditação pela Joint Commission International (JCI) e do planejamento estratégico, alinhados aos protocolos internacionais, que viabilizam uma maior eficiência nas ações de contingência. “Rapidamente, tomamos todas as providências para fazer frente à situação, a exemplo do que ocorreu na pandemia de covid-19”, observa.

Como evitar a doença

Tamara Caetano, clínica geral do Dona Helena, lembra que a dengue é uma doença viral, febril, aguda e transmitida pela picada do aedes aegypti.

Pode se apresentar de forma leve ou grave – dependendo de vários fatores, incluindo infecção anterior pelo vírus e condições individuais como a boa saúde geral ou, ao contrário, a existência de doenças crônicas como diabetes, asma ou anemia falciforme.

A melhor forma de se evitar a dengue, nunca é demais lembrar, é cuidando para impedir a proliferação do mosquito. E isso começa em casa.

É fundamental combater os focos de acúmulo de água. Leia-se, não deixar água acumulada em lugar algum, dentro ou fora de casa. E converse com seus vizinhos, mobilize as pessoas no combate ao mosquito.

A “guerra” ao aedes aegypti inclui atenção especial para latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Assessoria de imprensa do Hospital Dona Helena.

Jornalista responsável:

Guilherme Diefenthaeler

(reg. prof. 6207/RS).

WhatsApp (47) 98403-2745.

Relacionados
NEWSLETTER
Assine nossa newsletter para se manter atualizado.
plugins premium WordPress