Concessionárias Aegea em SC investem 250 milhões em abastecimento e esgotamento sanitário

Concessionárias Aegea em SC investem 250 milhões em abastecimento e esgotamento sanitário

Facebook
Twitter
LinkedIn

Com atuação em mais de 500 cidades e 15 estados brasileiros, a Aegea se destaca como líder no setor privado de saneamento do país. Em Santa Catarina , sua trajetória iniciou em 2014, com a entrega Águas de São Francisco do Sul . Expandindo rapidamente sua atuação, a holding logo chegou a outras cidades do Litoral Norte , onde opera as empresas Águas de Camboriú , Águas de Bombinhas e Águas de Penha .

A todo momento as quatro operadoras reafirmaram seu compromisso com a gestão responsável dos recursos hídricos. A empresa investe continuamente em infraestrutura, tecnologia e inovação para garantir o acesso à água potável e ao tratamento de esgoto de forma eficiente e sustentável.

Com investimentos de aproximadamente 250 milhões em abastecimento e em esgotamento sanitário (desde o início das concessões até o previsto para este ano de 2024), um dos objetivos das entregas é de universalizar os serviços além de artesanato o desenvolvimento econômico e ambiental de forma projetada e sustentável.

Uma das maiores conquistas da empresa aconteceu em Bombinhas, com a construção de um sistema de abastecimento independente e moderno, garantindo a estabilidade hídrica do município. A Águas de Bombinhas foi buscar água bruta no município vizinho, em Tijucas, com a instalação de uma adutora de 27 quilômetros, além de uma Estação de Tratamento de Água (ETA) com capacidade de até 210l/s.

Um dos grandes desafios do sistema, que envolve o investimento de R$ 55 milhões, foi garantir o abastecimento do município tanto no inverno quanto no verão – quando a cidade praticamente quintuplica seu número de habitantes.

Outro ponto que merece destaque na cidade é a construção do novo sistema de esgotamento sanitário, que se torna realidade a partir deste ano.

Com a implementação das redes de esgotos previstas para 2024, a empresa deverá atingir cerca de 37 km de redes implantadas. Além disso, até o mês de dezembro a nova Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) deverá entrar em operação, iniciando mais um marco histórico para Bombinhas.

E quando o assunto é esgotamento sanitário, Camboriú também tem muito o que comemorar. No último mês de fevereiro, a prefeitura e a Águas de Camboriú concordaram com um termo de ajuste no contrato, autorizando a supervisão a assumir as obras de coleta e tratamento de esgoto do mês: serão investidos aproximadamente R$ 300 milhões na cidade.

O esgotamento sanitário traz benefícios em praticamente todos os segmentos dentro de uma cidade. Os gastos com saúde pública diminuem, visto que ocorre a queda na incidência do número de pessoas doentes em decorrência da falta de saneamento. A construção civil e a valorização imobiliária também se beneficiam, já que uma cidade com esgotamento apresenta valorização de aproximadamente 17% nos imóveis. Outro fator positivo é a preservação ambiental e o retorno da fauna e flora naturais aos rios e córregos.

Já em relação ao abastecimento, a Águas de Camboriú ampliou o sistema e levou água portátil a regiões que nunca tinham sido abastecidas anteriormente. Foi o caso da rede de abastecimento instalada em Várzea do Ranchinho. Após quatro meses de obras, a concessionária Águas de Camboriú concluiu a implantação do sistema de distribuição de água protegida, em um total de 7,27 quilômetros de rede, sendo 4,77 metros de rede doméstica.

Em São Francisco do Sul, um dos destaques das obras de transporte foi a construção da primeira Estação de Tratamento de Esgoto do município a ETE Ubatuba em 2020. A obra faz parte do cronograma de investimentos da entrega para a universalização do saneamento no município. Com 20 mil metros quadrados de área construída, a obra consumiu 1.200 metros cúbicos de concreto e 170 toneladas de aço.

Durante sua execução, gerou 80 funcionários diretos e 240 indiretos. A tecnologia utilizada na ETE é de Lodo Ativado, do tipo aeração prolongada, através de reator sequencial em bateladas. A nova estação vai contribuir para uma grande melhoria na saúde da população, preservação do meio ambiente e valorização imobiliária da cidade.

No município, a concessionária também implantou o sistema de abastecimento de água do Ervino em 2017. Com um investimento em torno de 17 milhões de reais, as obras no Ervino envolveram um reservatório com capacidade de 500 mil litros de água e duas estações de recalque de água tratada, sendo uma delas na ETA Vega (dentro da ArcelorMittal) e outra no reservatório Ervino.

Já na Penha, a inauguração de um reservatório com capacidade para armazenar até 2 milhões de litros, o que aumentou a capacidade de reserva de 4,8 milhões de litros para 6,8 milhões de litros de recursos de água, em 2019, e a organização da ETA Penha em 2020 inverteu a história pauta da cidade de falta d´água principalmente durante a alta temporada. Nos últimos três anos a cidade não registrou desabastecimento no período.

A cidade agora, encontra-se na fase de implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto. A previsão é de que sejam investidos mais de R$ 111 milhões de reais no sistema. A cidade conta com dois módulos de tratamento, com capacidade de 80L/se 17L/s, respectivamente.

Águas de Camboriú acaba de assumir investimentos para implantar sistema de esgotamento na cidade

 

Em São Francisco do Sul, a Águas de São Francisco do Sul já opera a primeira Estação de Tratamento de Esgotos

 

A Águas de Penha inverteu o problema histórico de falta de água no município com a construção da Estação de Tratamento de Água

 

Águas de Bombinhas implantou o sistema de abastecimento da cidade e agora instala o sistema de esgotamento sanitário

Relacionados
NEWSLETTER
Assine nossa newsletter para se manter atualizado.
plugins premium WordPress