Galpão com risco para dengue é alvo de ingresso forçado para limpeza em Itajaí

Galpão com risco para dengue é alvo de ingresso forçado para limpeza em Itajaí

Facebook
Twitter
LinkedIn

Na manhã desta quinta-feira (23), o município de Itajaí realizou uma operação de ingresso forçado para efetuar a limpeza de um galpão localizado no bairro Salseiros, que apresentava risco significativo de proliferação do mosquito da dengue. A decisão de intervir foi tomada após diversas denúncias de moradores locais, preocupados com a situação, e a falha nas tentativas de contato com o proprietário do imóvel para proceder uma visita preventiva.

O galpão em questão, que vinha sendo utilizado como depósito e permanecia fechado, continha materiais que acumulavam água parada, criando um ambiente propício para a reprodução do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue. Diante deste cenário, a ação de limpeza foi fundamentada nas leis 6.974/2018 e 13.301/2016, que autorizam a realização de vistorias e limpezas em situações de emergência, visando a proteção da saúde pública.

A operação contou com a colaboração das secretarias municipais de Obras, Saúde e Segurança de Itajaí. O objetivo principal foi mitigar a epidemia de dengue que assola a cidade, a qual já registra alarmantes 11.753 casos confirmados e 30 mortes em decorrência da doença. A intervenção no galpão é parte de uma estratégia mais ampla de controle e combate à dengue, que inclui a eliminação de focos do mosquito em áreas públicas e privadas.

Com a execução dessa importante ação, as autoridades municipais esperam reduzir a propagação do mosquito e, consequentemente, o número de casos de dengue na região. A participação ativa da comunidade na denúncia de possíveis focos e a resposta rápida das autoridades são cruciais para enfrentar eficazmente essa crise de saúde pública.

Durante a operação realizada no bairro Salseiros, as equipes municipais enfrentaram um cenário preocupante. Um caminhão cheio de materiais contendo água parada foi recolhido, evidenciando a gravidade da situação. Esses materiais, propícios para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, são alvos primários nessas intervenções. Entretanto, materiais secos e armazenados em locais cobertos não foram removidos, seguindo as diretrizes das operações de controle da dengue.

Essa ação integra um esforço contínuo e coordenado para combater a proliferação do mosquito transmissor da dengue em Itajaí. Em 2024, esta foi a quinta operação de ingresso forçado na cidade, com precedentes nos bairros Cordeiros, São Vicente, Vila Operária e agora Salseiros. O ingresso forçado é uma medida extrema, adotada somente quando todas as tentativas de contato e soluções preventivas falham, destacando a seriedade da situação e a necessidade urgente de ações eficazes.

Lúcio Vieira, coordenador do Programa de Controle da Dengue de Itajaí, enfatizou a importância da conscientização da população. Ele ressaltou que medidas preventivas são fundamentais para reduzir a infestação do mosquito. A colaboração dos moradores é vital para manter os ambientes livres de água parada, evitando assim o desenvolvimento de focos do mosquito Aedes aegypti.

Atualmente, agentes de combate a endemias estão realizando visitas de orientação nos bairros Cordeiros, Cabeçudas, Fazenda e Praia Brava. Essas visitas têm como objetivo educar e conscientizar os moradores sobre a importância de eliminar possíveis criadouros de mosquitos em suas residências e arredores. A ação coordenada entre o poder público e a população é essencial para o sucesso das medidas preventivas e para a proteção da saúde coletiva.

Relacionados
NEWSLETTER
Assine nossa newsletter para se manter atualizado.
plugins premium WordPress